População economicamente ativa

Continuando com as análises, vamos postar alguns materiais somente sobre a população economicamente ativa para verificar se existem padrões que justifiquem o repasse dos recursos federais aos estados, para entender como que o governo realiza a demarcação da fatia do bolo.

Analisando a distribuição abaixo, podemos ver padrões entre Bahia (BA) e Ceará (CE) que são diferentes de Rio Grande do Sul (RS) e São Paulo (SP). Como podemos constatar a maioria da população da BA e CE no ano de 2010, receberam como salário mensal entre R$510,00 a R$ 2.550,00, enquanto que RS e SP, receberam entre R$ 2.550,00 a R$ 5.100,00.

População Economicamente Ativa
População Economicamente Ativa em 2010

Analisando os posts Recursos por Habitante e Fatia do Bolo, será que podemos dizer que o motivo para o repasse dos recursos federais se dá pelo critério da faixa salarial menor da maior parte da população entre os estados?

Pois a distribuição dos recursos entre Ceará e Bahia foram muito próximos, e proporção por faixa salarial também é muito próxima. Será que o governo trabalha com a seguinte estratégia:

– Primeiro para os que mais necessitam, ou seja, estados mais pobres terão mais ajuda?

– E o que acontece com os que geram mais riqueza para o país? Não deveriam receber mais investimentos?

Vamos continuar analisando essas informações, e vamos trazer outras medições, como por exemplo, grau de ensino de cada estado e fazer comparações.

Por hora, você acha que esse relacionamento entre população economicamente ativa pode sim ser o motivo para um estado estar recebendo mais recursos federais do que outro?

Anúncios
População economicamente ativa

Recursos por Habitante

Seguindo com o que foi analisado no post Fatia do Bolo, fiz uma nova análise, agora combinando dados do IBGE, com o Censo 2010 para criar um novo índice, chamado Recursos (R$) por Habitante, para que possamos analisar o valor que é repassado por pessoa em cada um desses quatro estados, com o objetivo de identificar se estão em equilíbrio ou não.

Pois se estiverem em equilíbrio, a redução da fatia do bolo para os estados de São Paulo e Rio Grande do Sul faria mais sentido. Vamos ver abaixo como ficou.

 

Recursos por Habitante
Recursos financeiros federais repassados por estado e calculados por habitante em 2010.

O bom de relacionar dados diferentes é que nós começamos a identificar padrões e/ou cenários que antes não eram possíveis de visualizar, como este caso.

Bom, como podemos ver Bahia e Ceará estão bem próximos, agora o Rio Grande do Sul recebe apenas 66% do que Ceará recebe. Enquanto que São Paulo, menos da metade, com apenas 45% em relação ao Ceará.

Nós entendemos que os estados deveriam receber de acordo com o tamanho da sua população, pois todos nós temos obrigações e responsabilidades iguais, mas isso não é o que ocorre, e com isso não conseguimos ainda entender o motivo desta discrepância tão elevada.

Mas vamos continuar estudando e analisando os dados para encontrar um motivo plausível.

Obs.: Pena que o IBGE só possui dados de 2010, pois se tivéssemos mais dados históricos, poderíamos compreender a evolução deste cenário.

Você acha que esses valores deveriam ser equilibrados? Ou acredita que não tem nada haver? Nos ajude respondendo a pesquisa abaixo, nós agradecemos muito.

Recursos por Habitante